Acontecimentos históricos do dia 7 de Setembro

1951 — Chega de mudança em Marechal Cândido Rondon, no atual distrito de Novo Horizonte, o casal Gracia (nascida Trento) e Antonio Bendo (...)

|| Casal pioneiro Gracia  e Antonio Bendo com seus filhos. 
Da esquerda à direita: Adelaide, Maria, Lirio, Idanir (pai de Arlete bendo), Anadir, Vanilda, Terezinha e Adelir.
Imagem: Acervo Arlete Bendo - FOTO 1
|| Casal pioneiro Gracia e Antonio Bendo com seus filhos.
Da esquerda à direita: Adelaide, Maria, Lirio, Idanir (pai de Arlete bendo), Anadir, Vanilda, Terezinha e Adelir.
Imagem: Acervo Arlete Bendo - FOTO 1
|| Inauguração da Catedral  atual Basílica Menor de Curitiba, em setembro de 1893.
Imagem: Acervo  bndigitado.bn.org.br/ Paulo Roberto Grani/ Facebook - crédito:  J.G. Vasquez  - FOTO 2 -
|| Inauguração da Catedral atual Basílica Menor de Curitiba, em setembro de 1893.
Imagem: Acervo bndigitado.bn.org.br/ Paulo Roberto Grani/ Facebook - crédito: J.G. Vasquez - FOTO 2 -
|| À entrada da Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz do Pinhais, em uma coluna no lado direito, em um canto meio escuro, esta fixada esta placa, descerrada por ocasião da inauguração. Nela está escrito:

“Inaugurada
a 7 de Setembro de 1893.
Commissão de obras
Vigario Alberto José Gonçalves
Barão do Serro Azul
Dr. José Pereira dos Santos Andrade
Comor Antonio Martins Franco
Tte. Cel. Benetido Enéas de Paula
Cao. Joim. José Bellarmino de Bittencourt
Mestre de obras
Carlos Aug: Warnecke!
|| À entrada da Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz do Pinhais, em uma coluna no lado direito, em um canto meio escuro, esta fixada esta placa, descerrada por ocasião da inauguração. Nela está escrito:

“Inaugurada
a 7 de Setembro de 1893.
Commissão de obras
Vigario Alberto José Gonçalves
Barão do Serro Azul
Dr. José Pereira dos Santos Andrade
Comor Antonio Martins Franco
Tte. Cel. Benetido Enéas de Paula
Cao. Joim. José Bellarmino de Bittencourt
Mestre de obras
Carlos Aug: Warnecke!"

Como é possível observarmos, a placa está quebrada. Isso aconteceu no dia mesmo da inauguração, quando foi danificada a marteladas por um genro de Henrique Henning (por ver que o nome do sogro não constava na placa inauguratória, grifo nosso).
Legenda e imagem: Flávio Antonio Ortolan - FOTO 3 -
|| Posse de João Goulart (Jango) na Presidência da República, em 07 de setembro de 1961.
Imagem: Acervo Câmara dos Deputados - FOTO 4 -
|| Posse de João Goulart (Jango) na Presidência da República, em 07 de setembro de 1961.
Imagem: Acervo Câmara dos Deputados - FOTO 4 -
|| Desfile de 7 de Setembro na cidade de Marechal Cândido Rondon, com destaque para a equipe de futebol de Esporte Clube Flamengo, em setembro de 1964,
Ao fundo, na esquina das Avenidas Maripá e Rio Grande do Sul, a casa comercial do pioneiro rondonense Carlos Kleemann.
Imagem: Acervo Orlando Miguel Sturm - FOTO 5 -
|| Desfile de 7 de Setembro na cidade de Marechal Cândido Rondon, com destaque para a equipe de futebol de Esporte Clube Flamengo, em setembro de 1964,
Ao fundo, na esquina das Avenidas Maripá e Rio Grande do Sul, a casa comercial do pioneiro rondonense Carlos Kleemann.
Imagem: Acervo Orlando Miguel Sturm - FOTO 5 -
|| Estudante rondonense Elio Edvino Winter, presidente da Associação Rondonense de Estudantes Secundários (ARES), presidindo a cerimônia de entrega da premiçãoàs equipes vencedoras dos Jogos da Primavera 1969. 
Ao seu lado direito, Gwerade Reuter; e à equerda, a professora Idalina Vianna Guzzoni. 
Imagem: Acervo Elio Winter - FOTO 5 -
|| Estudante rondonense Elio Edvino Winter, presidente da Associação Rondonense de Estudantes Secundários (ARES), presidindo a cerimônia de entrega da premiçãoàs equipes vencedoras dos Jogos da Primavera 1969.
Ao seu lado direito, Gwerade Reuter; e à equerda, a professora Idalina Vianna Guzzoni.
Imagem: Acervo Elio Winter - FOTO 5 -
|| Desfile de 7 de Setembro na Avenida Maripa, na cidade de Marechal Cândido Rondon, em setembro de 1970.
Imagem: Acervo Orlando Miguel Sturm - FOTO 7 -
|| Desfile de 7 de Setembro na Avenida Maripa, na cidade de Marechal Cândido Rondon, em setembro de 1970.
Imagem: Acervo Orlando Miguel Sturm - FOTO 7 -
|| Apresentação da fanfarra da Escola Municipal de Linha São Cristóvão, em setembro de 1975.
Imagem: Acervo Carla Paulo Macedo - FOTO 8 -
|| Apresentação da fanfarra da Escola Municipal de Linha São Cristóvão, em setembro de 1975.
Imagem: Acervo Carla Paulo Macedo - FOTO 8 -
|| Rondonense Elói Lohmann falecido em setembro de 1988.
Imagem: Acervo Projeto Memória Rondonense - FOTO 9 -
|| Rondonense Elói Lohmann falecido em setembro de 1988.
Imagem: Acervo Projeto Memória Rondonense - FOTO 9 -
|| Ciclista rondonense Paul Lírio Berwig com o troféu de campeão da 1ª Prova da Independência de Ciclismo de Guaíra, em setembro de 2005.
Imagem: Acervo Projeto Memória Rondonense - FOTO 10 -
|| Ciclista rondonense Paul Lírio Berwig com o troféu de campeão da 1ª Prova da Independência de Ciclismo de Guaíra, em setembro de 2005.
Imagem: Acervo Projeto Memória Rondonense - FOTO 10 -
|| Pedro Cereser e esposa.
 Á sua direita, o prefeito municipal Almiro Bauermann e o empresário Amário Saatkamp.
Imagem: Acervo Memória Rondonense - FOTO  11 -
|| Pedro Cereser e esposa.
Á sua direita, o prefeito municipal Almiro Bauermann e o empresário Amário Saatkamp.
Imagem: Acervo Memória Rondonense - FOTO 11 -
|| Pioneiro rondonense  Haroldo Alberto Güttges, falecido em setmbro de 2015.
Imagem: Acervo da Família - FOTO 12 -
|| Pioneiro rondonense Haroldo Alberto Güttges, falecido em setmbro de 2015.
Imagem: Acervo da Família - FOTO 12 -
|| Destaque da Revista Copagril sobre a comemoração do 43º aniversário da AACC. 
Imagem: Revista Copagril nº 100 - FOTO  13 -
|| Destaque da Revista Copagril sobre a comemoração do 43º aniversário da AACC.
Imagem: Revista Copagril nº 100 - FOTO 13 -
|| Pioneiro Arnaldo Storck com a esposa Edi, ele falecido em 07 de setembro de 2018. 
Imagem: Acervo Alceu Storck - FOTO 14 -
|| Pioneiro Arnaldo Storck com a esposa Edi, ele falecido em 07 de setembro de 2018.
Imagem: Acervo Alceu Storck - FOTO 14 -
|| Fernanda Heinemann (d), medalhista de ouro no aparelho maças e 3º lugar no individual geral, ao lado de Ana Júlia Oldoni, 2º lugar no aparelho maças e 3º no aparelho mãos livres.
Imagem: Acervo PM - Pato Bragado - Crédito: Eliane Cargneletti Torres - FOTO 15  -
|| Fernanda Heinemann (d), medalhista de ouro no aparelho maças e 3º lugar no individual geral, ao lado de Ana Júlia Oldoni, 2º lugar no aparelho maças e 3º no aparelho mãos livres.
Imagem: Acervo PM - Pato Bragado - Crédito: Eliane Cargneletti Torres - FOTO 15 -
|| Agenda programática de eventos alusivos ao 26 º aniversário do município de Mercedes. 
Fonte: Acervo O Presente - FOTO 16 -
|| Agenda programática de eventos alusivos ao 26 º aniversário do município de Mercedes.
Fonte: Acervo O Presente - FOTO 16 -
|| Matéria do jornal O Presente referente a programação especial de 07 de Setembro, no município de Entre Rios do Oeste. 
Fonte: Acervo O Presente - FOTO 17 -
|| Matéria do jornal O Presente referente a programação especial de 07 de Setembro, no município de Entre Rios do Oeste.
Fonte: Acervo O Presente - FOTO 17 -
|| Estufa de espécimes vegetais nativos da Mata Atlântica, com iluminação decorativa e alusiva à Independência do Brasil, em 2020.
Imagem: Acervo Tisa Kastrup (Curitiba) - FOTO 18 -
|| Estufa de espécimes vegetais nativos da Mata Atlântica, com iluminação decorativa e alusiva à Independência do Brasil, em 2020.
Imagem: Acervo Tisa Kastrup (Curitiba) - FOTO 18 -
|| Vista da cobertura da estufa do Jardim Botânico de Curitiba, com  a iluminação alusiva à Independência do Brasil, em 2020.
Imagem: Acervo Tisa Kastrup (Curitiba). -- FOTO 19 -
|| Vista da cobertura da estufa do Jardim Botânico de Curitiba, com a iluminação alusiva à Independência do Brasil, em 2020.
Imagem: Acervo Tisa Kastrup (Curitiba). -- FOTO 19 -
|| Homenagem do governo suiço ao Brasil por sua data de Independência, através de sua representação diplomática no Brasil, em sua página no Facebook. 
A bandeira brasileira foi refletida, por sinal luminoso, contra a montanha Matterhorn, uma das maiores atrações turísticas do país europeu.
Imagem: Acervo Suiça no Brasil - FOTO 20 -
|| Homenagem do governo suiço ao Brasil por sua data de Independência, através de sua representação diplomática no Brasil, em sua página no Facebook.
A bandeira brasileira foi refletida, por sinal luminoso, contra a montanha Matterhorn, uma das maiores atrações turísticas do país europeu.
Imagem: Acervo Suiça no Brasil - FOTO 20 -
|| Saudação dos Emirados Árabes Unidos , na cidade de Dubai, no edíficio Burj Khalifa Bin Zayid, considerado o arranha-céu mais alto do mundo, em sua página no Facebook (Emirates). -- FOTO 21 -
|| Saudação dos Emirados Árabes Unidos , na cidade de Dubai, no edíficio Burj Khalifa Bin Zayid, considerado o arranha-céu mais alto do mundo, em sua página no Facebook (Emirates). -- FOTO 21 -
|| Hasteamento das bandeiras pelo  prefeito Marcio Rauber (C), do vice-prefeito Ilario Hofstaetter (Ila), e do comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar, capitão Daniel Zambon, em 07 de setembro de 2021. À direita, estátua do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon restaurada.
Imagem: Acervo Imprensa PM-MCR - FOTO 22 -
|| Hasteamento das bandeiras pelo prefeito Marcio Rauber (C), do vice-prefeito Ilario Hofstaetter (Ila), e do comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar, capitão Daniel Zambon, em 07 de setembro de 2021. À direita, estátua do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon restaurada.
Imagem: Acervo Imprensa PM-MCR - FOTO 22 -
|| Placa com cópia do decreto do Governo Provisório que trata da Bandeira Nacional, inaugurada em 07 de setembro de 2021, no pátio do Paço Municipal de Marechal Cândido Rondon em 07 de setembro de 2021.
Imagem: Acervo Imprensa PM-MCR - FOTO 23 -
|| Placa com cópia do decreto do Governo Provisório que trata da Bandeira Nacional, inaugurada em 07 de setembro de 2021, no pátio do Paço Municipal de Marechal Cândido Rondon em 07 de setembro de 2021.
Imagem: Acervo Imprensa PM-MCR - FOTO 23 -
|| Advogado rondonense Oscar Nasighil (d) participando em Brasília da manifestação popular de 07 de setembro de 2021.
Imagem: Acervo O Presente - FOTO 24 -
|| Advogado rondonense Oscar Nasighil (d) participando em Brasília da manifestação popular de 07 de setembro de 2021.
Imagem: Acervo O Presente - FOTO 24 -
|| Final da tarde em Marechal Cândido Rondon em 07 de setembro de 2022, em foto tirada desde o Clube Náutico, no distrito rondonense de Porto Mendes, pela pioneira rondonense Ilda Bet. - FOTO 25 -
|| Final da tarde em Marechal Cândido Rondon em 07 de setembro de 2022, em foto tirada desde o Clube Náutico, no distrito rondonense de Porto Mendes, pela pioneira rondonense Ilda Bet. - FOTO 25 -

|| Alunos da Escola Municipal Criança Feliz, apoiada pela Cooperativa Agroindustrial Copagril, no desfile de 7 de setembro, na Rua Santa Catarina, em Marechal Cândido Rondon.
Imagem: Acervo Imprensa Copagril - FOTO 26 -
|| Alunos da Escola Municipal Criança Feliz, apoiada pela Cooperativa Agroindustrial Copagril, no desfile de 7 de setembro, na Rua Santa Catarina, em Marechal Cândido Rondon.
Imagem: Acervo Imprensa Copagril - FOTO 26 -

1894 — É inaugurada a atual Catedral Metropolitana de Curitiba. É a 4ª construção. A primeira igreja começou a ser erigida em 1668 quando Curitiba foi instalada com nome de Nossa Senhora da Luz e Bom de Jesus dos Pinhais. A precária construção foi demolida por volta de 1721, para dar lugar ao 2º templo. Esta foi Igreja Matriz por 133 anos. 

Em 1854, o baiano Zacarias de Góes e Vasconcellos, 1º Presidente da recém criada Província do Paraná, determinou que a centenária igreja fosse demolida e uma nova matriz fosse edificada (na época o catolicismo era a religião ofical do Império Brasileiro), a qual ficou por pouco tempo em pé.

Defeitos cometidos na construção ameaçava o desabamento dela a qualquer hora. Por isso, foi demolida e começou-se a construção da atual catedral, projetada pelo arquiteto francês Alphonse Conde de Plas. O engenheiro Giovani Lazzarini, responsável pela obra, acabou introduzindo algumas alterações no projeto original. 

A maior parte das obras da atual catedral foram tocadas pelo mestre de obras, o alemão luterano Heinrich Henning. Somente não concluiu a construção por ter se desentendido com o páraco Alberto José Gonçalves, por este acusá-lo de transformar a nova igreja num templo luterano. Henning contestou a versão do padre, afirmando que apenas seguiu o que estava no projeto. Por causa do desentendimento, o nome de Henning não consta da placa inauguratória afixada na entrada da igreja, no dia de sua inauguração. 

Com a nomeação do 1º bispo de Curitiba, D. José Camargo, a antiga igreja matriz foi elevada à condição de Catedral e a recém criada circunscrição episcopal abrangia os estados do Paraná e Santa Catarina (Paulo Roberto Grani, postagem n em sua página no Facebook, em 09.05.2019 e FotogranfandoCuritiba, com texto de Flávio Antonio Ortolan). 

Após este e outros desentendimentos que teve em obras, por sua rigidez na rotina e feitura do trabalho de construções, Henning acabou fixando residência numa propriedade rural no Assungui, no atual município de Cerro Aazul, na região metropolitana de Curitiba. 

Sabendo do desentendimento entre o imigrante alemão e o padre Gonçalves, o presidente da província, Vicente Machado, decidiu vingar  a ofensa ao religioso. Encomendou a morte do mestre de obras.

Ao passar com a caravana, quando deslocou provisoriamente a sede do Governo do Paraná para a cidade de Castro, devido a tomada da Capital pelos revolucionários federalistas, Vicente Machado procurou seu amigo o coronel Hermógenes de Araújo e este contratou o matador Diamiro Furquim. O presidente da província exigiu prova da execução do serviço.

Henning foi atraído para uma emboscada. Furquim apresentou-lhe uma falsa intimação. Deveria comparecer à autoridade provincial para explicar-se sobre a posse de um fuzil. " Heinrich acabou indo com o desconhecido e no caminho foi morto com um tiro e, em seguida, decapitado".

O matador entregou a cabeça de Henning a Vicente Machado na casa do amigo Hermógenes, onde aguardava o desfecho da vingança. O presidente da província lamentou a falta de descrição do executor ao trazer-lhe a cabeça do alemão (Gazeta do Povo). -- FOTOS 2 e 3 --
 

____________________________________

1905 — É inaugurada a estação telefegráfica de Foz do Iguaçu. O equipamento para chegar ao local do novo posto teve um roteiro de transporte por via marítima e depois pelo Rio Paraná acima. É isso que transmite  o Aviso nº 2.183, de 08 de agosto de 1905, ao Chefe do Distrito Telegráfico do Paraná, "deslocado em Catanduvas", enviado pelo Diretor Geral da Repartição dos Correios e Telégrafos (R.C.T), como publicado no Boletim Telegráfico de 31 de agosto de 1905:
 

Foi embarcado no dia 17 para Corrientes, o material da Estação de Foz do Iguassu, conforme vossa indicação. Compete-vos agora providenciar quanto ao transporte de Corrientes até a Foz.


Entre o embarque e a chegada do equipamento na cidade de Foz do Iguaçu, o tempo necessário foi bastante curto, se comparado o interstício entre o despacho e a inauguração. 

A linha telegráfica para Foz do Iguaçu foi "puxada" desde o posto telegráfico de Catanduvas¹, em expediente de 25 de agosto de 1905, da Diretoria Geral da R.C.T. comunicou ao Ministério da Guerra " haver autorizado o Chefe do Distrito do Paraná, em nove do daquele mês " receber do Chefe da Comissão construtora da estrada de rodagem e linha telegráfica de Guarapuava a Foz do Iguassú, a Estação da Foz do Iguassú,  a inaugurar-se no dia 07 de setembro vindouro, e mais 89 kilometros de linhas".

A inauguração da unidade telegráfica na cidade brasileira das Três Fronteiras deu origem a várias comunicações burocráticas entre os entes envolvidos no processo de implantação do posto, como se depara nos seguinte expedientes:

Em 09 de setembro de 1905, pelo ofício nº 891, o diretor-geral da R.C.T. transmitiu a seguinte mensagem: "Ao Ministério da Indústria, Viação e Obras Públicas. Comunicando que foi inaugurada a 07 do corrente a Estação Telegráfica de Foz do Iguassú, ponto terminal da linha que parte de Guarapuava".

Pela Circular nº 74, de 11 de setembro de 1905, a diretoria geral da Repartição de Correios e Telégrafos fez o seguinte comunicado interno, conforme publicado no Boletim Telegráfico, de 15.09.1905: "Srs. Chefes dos Districtos, da Central e Contadoria. Acha-se inaugurada a Estação Telegraphica de Foz de Iguassu Estado do Paraná, abreviatura "FI".

Ainda relacionado à telegrafia² para Foz do Iguaçu foram baixadas as Portarias nº 960, de 15.09.1905, anexando ao Distrito do Paraná a nova linha; e nº 961, do mesmo dia, designando o feitor, em comissão, Carlos Hummelgen, para encarregado da Seção de Catanduvas a Foz do Iguaçu.

A via aberta pela comissão construtora, a partir de Catanduvas, que passou chamar-se de Picada do Benjamin, foi por muito tempo a única ligação de terra para encaminhar-se à cidade de Foz do Iguaçu (FREITAS, Astrogildo de. Alguns Aspectos da Telegrafia no Paraná - Ligação das Colônias Militares. Volume XLIII. Curitiba: Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense, 1986, p. 176 e 177). 

A solenidade de inauguração se deu na Estação Central dos Telégrafos na Capital Paranaense. O jornal curitibano "A República" publica a seguinte nota sobre o acontecimento festivo:
 

Festa inaugural

Telegrapho para o Iguassú

Correspondendo ao gentil convite que hontem nos foi dirigido, comparecemos á Estação Telegrphica desta capital, afim de assistirmos á inauguração da nova linha que acaba de ser construida, na extensão de cerca de 900 kilometros, desta capital á fóz do Iguassú, sob a direção do distincto militar capitão Feliz Fleury.

Á 1 hora da tarde, mais ou menos, presentes nos slão dos apparelhos da Estção Central desta capital os exmos. dr. João Candido e general Bormann, Dr. Francisco Beltrão e Cichorro Junior, secretarios de Estado, commandantes e officiaes dos diversos grupos de guaranição, representantes do dr. chefe de policia e do Regimento de Segurança, representantes da imprensa, chege e demais empregados da estação, o sr. capitão Felix Fleury declarou officialmente inaigurada a linha telegraphica para a estação Fóz do Iguassú. Pelo exmo. general Bormann foi então levantado um viva ao importante facto, sendo enthusiasticamente correspondio.

Nesta occasião, sendo declaradas fracas as linhas ás pessoas que d'ellas se queizessem, utilizar foram transmtidos varios telegramas aos exmos. dr. Presidente da Republica, marcehal Argollo, dr. Lauro Müller, ministro da viação e outros muitos ao comandante da colonia militar do Iguassú e ao sr. Silveira Netto, administrador da meza de renda e á imprensa do Rio.

Em seguida foram todos os presentes convidados a passar á sala do chefe da estação, e o nosso distincto amigo Leopoldo Pereira, em a qual foi servido um variado lunche.

Ao champagne foram levantados diversos brindes, convergindo a maior parte d'ellas á pessoa do digno capitão Fleury, o qual, usando da palavra, agradeceu aos governos federal e estadoal a confiança em si depositada e aos camardas o auxilio que lhes prestaram para construir esta importante linha, n'uma extensão de perto de 400 kilometros, a partir de Guarapuava. 

O brinde de honra foi levantado pelo exmo. dr. João Candido Fereira, vice-presidente do Estado, ao exmo. dr. Rodrigues Alves, presidente da Republica.

Tocaram durante a festa as bandas militares do 13º e 14º regimentos de cavallaria e a do Regimento de Segurança (sic) (in: Curitiba: ano XXI, nº 212, ed. 07 de setembro de 1905, p. 2 — Biblioteca Nacional Digital). 

 

¹ O posto telegráfico de Catanduvas foi inaugurado em 1904, com linha iniciada no mesmo ano na cidade de Guarapuava passando pela atual cidade de Laranjeiras do Sul, na época Colônia Mallet, onde também foi instalada uma estação telegráfica.

 

² A mensagem emitida por uma estação ou posto telegráficos era designada de telegrama. Para a sua transmissão era usado o alfabeto Morse que consistia de elementos sonoros que o perador identificava a qual letra do alfabeto normal correspondia. 
       Karin Romanó dos Santos, em "Antigamente em Curitiba", Facebook, em 01 de dezembro de 2022, dá detalhes de como se configurava, na época o tel

Ao campagne foram levanegrama: 

Antigamente, quando alguém precisava mandar uma notícia urgente, a melhor forma era o TELEGRAMA. E a pessoa se dirigia ao Correio para fazer isso.

Muitas vezes os carteiros traziam as notícias de falecimento na casa das pessoas, através de telegramas, porque era o meio mais rápido.

O telefone interurbano podia levar muitas horas para completar a chamada e nem todos tinham o aparelho em casa.

As cartas levavam vários dias para chegar ao destinatário.

Por isso, já dava até um "frio" quando o carteiro apertava a campainha e dizia: - TELEGRAMA

Mas podia ser também para felicitar alguém, avisar de um nascimento, cumprimentar pelo casamento, 15 anos

Só que assim como o telefone interurbano, era caríssimo. E se pagava por palavra.

Cada palavrinha custava o mesmo, não importando se tinha uma ou 10 letras.

Então se tirava os artigos, preposições, adjetivos, tudo que desse, para não sair uma fortuna.

Mas a frase também tinha que fazer sentido, senão ficava incompreensível .

Para ajudar, não existiam os sinais gráficos como o ponto, acento agudo, vírgula.

Usava-se letras que serviam como sinais gráficos. E se pagava por elas como palavras.

Escrevíamos "PT" para ponto, colocávamos "h" para fazer o acento agudo :

Em vez de escrever "é", escrevíamos "eh".

E assim, PT saudações nada mais é do que linguagem telegráfica

___________________________________

1922 — Acontece a primeira transmissão de rádio¹ no Brasil, durante a Exposição Internacional do Centenário da Independência, na cidade do Rio Janeiro (nota do pesquisador).

¹ Hoje (26.09.2018) são milhares de emissoras de rádio espalhadas pelo Brasil.

___________________________________

1947 — Surge em Porto Alegre, no Colégio Estadual Júlio de Castilhos, a 1ª Ronda Crioula, sucedida pela Semana Farroupilha, com o acendimento de um candeeiro com uma fagulha da Chama da Pátria. O candeeiro permaneceu aceso até o dia 20 de setembro, data que recorda o começo da Guerra dos Farrapos.

Em "Origem da Semana Farroupilha", Farias, M. S. relata quanto à origem da comemoração:
 

Há 62 anos, à meia noite do dia 7 de setembro de 1947, antes do Fogo da Pátria ser extinto, Paixão Côrtes, Cyro Ferreira, Antônio Siqueira, Orlando Degrazia, Fernando Vieira, Cyro Costa, Cilço Campos e João Vieira, compunham “Os oito bombachudos”, como viriam a ficar conhecidos. Eles capturaram uma fagulha da chama da Pira da Pátria utilizando um cabo de vassoura com trapos enrolados na ponta e transladaram esta fagulha a cavalo até o saguão do colégio Júlio de Castilhos, situado na cidade de Porto Alegre, onde esta permaneceu acesa em um candeeiro crioulo até o dia 20 de setembro em homenagem a os líderes farroupilhas. Estava então formada a 1ª Ronda Crioula da História. Durante esta ronda foram realizadas muitas atividades artístico-culturais com apresentações de gaiteiros, declamadores, dançarinos etc. Participaram da festividade Luiz Carlos Barbosa Lessa e Glaucos Saraiva. E para encerrar a 1ª Ronda Crioula, foi realizado o 1° Baile Gauchesco da história, o popular Fandango, no Teresópolis Tênis Clube de Porto Alegre, que contou com churrasco, pastel de carreira, café de chaleira, hora de artes e concursos de trajes gaúchos, que hoje são popularmente conhecidos por pilchas.

Com o transcorrer do tempo, as comemorações da Ronda Crioula tornaram-se a Semana Farroupilha que em seu começo era distinta de hoje. Não tratava-se de uma festa com fins comerciais, e sim culturais. Cada piquete tradicionalista realizava a sua comemoração e no dia 20 reuniam-se todos em desfile.

A Chama Crioula é considerada o fogo símbolo da fraternidade, ardor, paixão, hospitalidade e coragem. Representa o gaúcho idealizado no espírito heroico dos Farroupilhas, como ideais de justiça e liberdade, visando à aproximação dos povos.

Barbosa Lessa e Paixão Cortes são as figuras mais representativas da cultura gaúcha, à sua época perceberam que nossa cultura estava se esvaindo, sendo aculturada. Dispuseram-se então a ir à campo pesquisar e restaurar nossas tradições. A cena do primeiro parágrafo, dos “Oito bombachudos”, não narra que, no trajeto até o colégio eles foram insultados e reprimidos pelos transeuntes que desprezavam o tradicionalismo. A perda dos valores culturais típicos do Rio Grande do Sul era tamanha, que se podia ser agredido caso se andasse pilchado na Rua da Praia. Talvez, se estes dois nomes, sobretudo, não tivessem se esforçado em reavivar a chama do tradicionalismo no coração dos gaúchos, em resgatar nossa cultura, fossemos hoje um povo alienado, sem fibra, influenciado pelos modismos meramente, afinal, como diz o Hino Rio-grandense: “Povo que não tem virtude acaba por ser escravo”.

Hoje, novamente estamos passando por este infeliz processo de aculturação. Há muito que a Semana Farroupilha vem perdendo seus valores culturais - atualmente sequer a chamam de Semana, mas de Festa Farroupilha aqui em Piratini, prova concreta da ignorância de seu significado; estão transformando-a em uma simplória fonte de renda, um evento comercial, sem mais. Caso continuemos nesse rumo, será preciso que dentro em pouco surjam indivíduos dotados de inteligência, do mesmo caráter tradicionalista e audacioso como os nomes supracitados. O vídeo abaixo fala exatamente sobre isso, assistam-no, por favor. A música chama-se "De pura cepa", interpretada por Xirú Missioneiro (FARIAS, M.S. "Origem da Semana Farroupilha". Setembro de 2012. http://livredialogo.blogspot.com.br)

__________________________________

1949 —  Chega em Toledo o pioneiro Egon Pudell, procedente de Santa Rosa (RS) para ocupar  o cargo de gerente do Empório Toledo, de propriedade da colonizadora Maripá. Mais tarde ocuparia os cargos de vereador, presidente da Câmara Municipal, prefeito, deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná (COSTA, Luiz Alberto Martins da. Calendário Histórico de Toledo — Cronologia de Fatos, Registros e Curiosidades da História do Município de Toledo. Toledo: GFM Gráfica & Editora, 2009, p. 197). 

____________________________________

1951 — Chega de mudança¹  em Marechal Cândido Rondon, na localidade de Mercedes Velha (atualmente, 29.08.2018, distrito de Novo Horizonte), o casal Gracia (nascida Trento²) e Antonio Bendoᵌ na companhia dos filhos⁴ Idanir, Lirio, Maria, Vanilda e Adelaide, procedente de Arroio Trinta, na época pertencente ao município de Videira (SC), após três dias de viagem.

A mudança foi transportada por Delvino Redivo, motorista e proprietário do caminhão, morador em Caçador (SC). Foram necessários três dias, de muito sacrifício, dada a precariedade das estradas, às vezes, simples picadas no meio do maio, até chegar ao destino.

Também os irmãos de Antonio Bendo, João e Lúcia vieram morar no Paraná, na mesma época. Permaneceram em Santa Catarina, os irmãos Ângelo, Rosina, Eugênia, Júlia e Ico.

O pioneiro Antonio Bendo é falecido em 06 de junho de 2006 e, a esposa Gracia em14 de março de 1998. Ambos estão sepultados no cemitério público da sede distrital rondonense de Novo Horizonte (colaborou Arlete Bendo, neta do pioneiro e filha de Santina e Idanir Bendo). -- FOTO 1 --
 

¹ O pioneiro veio sozinho pela primeira vez a Marechal Cândido Rondon, com saída em 01 de junho de 1951, em Arroio Trinta, para ver e comprar terras, no Oeste do Paraná. O que se deu no distrito de Novo Horizonte.
 

² Gracia Bendo, esposa de Antonio Bendo, é filha de Antonia (nascida Sesconetto) e Emilio Trento . O casal veio mais tarde residir em Marechal Cândido Rondon, procedente de Salto Veloso (SC).
 

São seus pais: Maria (nascida Scarsanella) e Pietro Bendo⁵ (imigrante italiano que chegou ao Brasil, com sete anos, acompanhando os pais Rosa (nascida Gazolla) e Giovani Bendo⁶ (nascido em 1844) e com os irmãos Santo, Maria Luigia, Giuseppe Fernando e Veronica, em 10 de dezembro de 1879, no porto da cidade do Rio de Janeiro, pelo navio Kronprinz Wilhelm Friedrich, de bandeira alemã). A família, natural de San Floriano de Castelfranco, Vêneto, se estabeleceu em Urussanga (SC).
 

No Paraná, nasceram mais os filhos Anadir (primeira criança nascida no distrito de Novo Horizonte), Adelir e Terezinha. Os filhos do casal pioneiro Gracia e Antonio Bendo se casaram em Marechal Cândido Rondon, respectivamente com: Idanir com Santina Lodi, Lirio com Dorati Weber, Maria com Gedeão Forlin, Vanilda com Mário Weber, Adelaide com Arlindo Lodi, Anadir com Valentin Mendes, Adelir com José Kochepka e Terezinha com Osni Habeck.
 

⁵ É neto de Luigia (nascida Baldin) e Luigi Bendo; e de Caterina (nascida Scorsin) e Giovanini Batista Baldin. Bisneto de Damiana (nascida Mardegan) e Sante Bendo; e de Maria (nascida Simioni) e Adamo Baldin.
 

⁶ São irmãos, os gêmeos David (casou-se com Maria Dal Bello) e Antonio, ambos nascidos em 1846; Tereza (nascida em 1853), casou-se com Inocente Garbuio; Ferdinando (nascido em 1856), casou-se com Maria Dal Prá; e Clemente (nascido em 1859) e Giudetta (nascida em 1862).
 

Ver galeria de fotos, clique aqui.

___________________________________

1954 — Acontece a 1ª maratona¹ da cidade de Toledo (PR) (COSTA, Luiz Alberto Martins da. Calendário Histórico de Toledo — Cronologia de Fatos, Registros e Curiosidades da História do Município de Toledo. Toledo: GFM Gráfica & Editora, 2009, p. 197). 
 

¹ Não se tem informação se teve participação de algum morador da então vila de General Rondon no evento (nota do pesquisador).

____________________________________

1961 — Toma posse como 24º Presidente do Brasil, o vice-presidente João Goulart (Jango), em virtude da renúncia de Jânio Quadros, em 25 de agosto. Somente conseguiu assumir a presidência, depois que o Congresso Nacional aprovou, em regime de urgência, presidencialismo que limitava os poderes do Presidente da República. Foi um medida conciliatória para apaziguar as correntes pró e contra a sua posse.

O governo de João Goulart pode ser dividido em duas fases: de setembro de 1961 a janeiro de 1963, parlamentarista; e de janeiro de 1963 a abril de 1964, presidencialista-- FOTO 4 --

___________________________________

1964 — Escolas da sede municipal e do interior do município de Marechal Cândido Rondon realizam desfiles comemorativos ao Dia da Independência do Brasil. Em alguns educandários, em especial nos interioranos, foram realizadas festas com o objetivo de angariar fundos para manutenção ou até mesmo ampliação das escolas (nota do pesquisador). -- FOTO 5 --

___________________________________

1965 — É "realizada a 1ª queimada da madeira da mata derrubada na região da cidade de São Pedro do Iguaçu, em área próxima da futura praça, com cerca de 6 alqueires de extensão" (COSTA, Luiz Alberto Martins da. Calendário Histórico de Toledo — Cronologia de Fatos, Registros e Curiosidades da História do Município de Toledo. Toledo: GFM Gráfica & Editora, 2009, p. 197). 

____________________________________

1969 — Acontece no Clube Aliança, a solenidade de premiação às equipes vencedoras dos Jogos da Primavera 1969 de Marechal Cândido Rondon, competição organizada pela Associação Rondonense de Estudantes Secundários (ARES), presidida pelo estudante Elio Edvino Winter. 

Os jogos foram coordenados pelo professora Idalina Vianna Guzoni, diretora da então Escola Normal Colegial, de Marechal Cândido Rondon, e aconteceram durante a Semana da Pátria (colaborou Elio Winter). -- FOTO 6 --
 

Ver galeria de imagens, clique aqui.

___________________________________

1972 — Acontece na Avenida Rio Grande do Sul, entre as Ruas 12 de Outubro e Tiradentes, o desfile cívico do Sesquicentenário da Independência, na cidade de Marechal Cândido Rondon (O Mundo em Revista. Marechal Cândido Rondon: Rádio Difusora Rondon AM,vol. 16, de 19.6.1972 a 19.9.1972).

___________________________________

1973  — Acontece em todas as escolas do município de Marechal Cândido Rondon desfiles alusivos ao Dia da Independência do Brasil. Em alguMAS unidades escolares foram organizadas festas para o dia todo, com a finalidade angariar recursos financeiros para manutenção ou até mesmo ampliação dos educandários.

Os colégios e escolas localizadas na sede municipal desfilaram pela Avenida Maripá, desde a esquina com a Avenida Rio Grande do Sul até a Praça Willy Barth (nota do pesquisador). -- FOTO 7 --

____________________________________

1974 — Acontece a 1ª reunião para a criação de uma Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) na cidade de Toledo (PR), entre Adolpho Dall'Oglio, Severino Jambersi, Elemar Scherer¹ e Alcides Nardi (COSTA, Luiz Alberto Martins da. Calendário Histórico de Toledo — Cronologia de Fatos, Registros e Curiosidades da História do Município de Toledo. Toledo: GFM Gráfica & Editora, 2009, p. 197). 
 

¹ Nome correto: Êlemo Scherer, irmão de Verno Scherer, ex-prefeito de Marechal Cândido Rondon e Pato Bragado (nota do pesquisador). 

___________________________________

1975 — Acontece a 1ª apresentação da fanfarra da Escola Municipal de Linha São Cristóvão, no município de Marechal Cândido Rondon, em desfile de 7 de setembro, pelas ruas da localidade e pátio da escola (PR) (Moradores e ex moradores da Linha São Cristóvão e arredores!!! - página Facebook). -- FOTO 8 --

___________________________________

1977 — Com a presença do prefeito municipal Almiro Bauermann, de Marechal Cândido Rondon (PR), e do deputado estadual Werner Wanderer, acontece a comemoração da Semana da Pátria no Grupo Escolar D. Leopoldina, na então na sede distrital de Qautro Pontes, hoje município. 

A organização do evento cívico e comemorativo foi liderado pelo vereador local, Werno Ivo Lamb. Para o almoço festivo, moradores locais doaram galinhas e hortaliças. O morador Willy Seltmann fez a doação de um boi para o churrasco (Rondon Hoje. Marechal Cândido Rondon: ed. 09 a 14.09.1977, p. 4).

____________________________________

1977 — Motoqueiros realizam motociata, a partir das 16 horas, a partir das 16 horas pelas avenidas da sede municipal de Marechal Cândido Rondon, para uma concentração mais tarde na Praça Willy Barth. O evento alusino à Inpdendência do Brasil, também visou apoio à campanha de economia de gasolina (Rondon Hoje. Marechal Cândido Rondon: Editora Independente Ltda., nº7, ed. 09 a 14.09.1977, p. 5).

__________________________________

1977  O cantor rondonense¹ Walter Basso e mais os cantores Lindomar Castilho e Sergio Reis se apresentam em show promocional no ginásio de esportes da cidade de Ponta Grossa. Os três intérpretes foram acompanhados pelo conjunto musical “Águas Correntes" (Frente Ampla de Notícias. Marechal Cândido Rondon:Rádio Difusora Rondon, vol. 34, de 23.08.1977 a 10.07.1977, p. 207 e 208).
 

¹ É o gentilício da cidade de Marechal Cândido Rondon (nota do pesquisador).

___________________________________

1987 — A empresa Expresso Princesa dos Campos, com sede central na cidade de Ponta Grossa, começa a operar uma linha de ônibus-leito, de Marechal Cândido Rondon a Curitiba. Com saída à segundas, quartas e sextas-feiras, às 21h30 m e retorno da Capital Paranaense aos domingos, terças e quintas-feiras.

Na rota Marechal Cândido Rondon-Curitiba somente uma parada na rodoviária da cidade de Toledo (sic) (RP - Rui Pires. Panorama. Marechal Cândido Rondon: Rádio Difusora do Paraná AM, vol. 012, cad. set a out 1987, fls. 43).

___________________________________

1988 — Notícia da Rádio Difusora do Paraná AM informa que poderá faltar água na cidade de Marechal Cândido Rondon, em decorrência da estiagem que perdura há de dois meses (LEDUC, Lincoln. Panorama. Marechal Cândido Rondon: Rádio Difusora do Paraná, vol.018, cad. setembro e outubro 1988, fls.29).

_________________________________

1995 — Falece o rondonense Elói Lohmann, ex-funcionário da empresa Indústria e Comércio Rainha do Sertão, ex-assessor de imprensa da Prefeitura Municipal de Marechal Cândido Rondon, nos governos de Almiro Bauermann e Ilmar Priesnitz. Foi idealizador para a fundação da Câmara Júnior de Marechal Cândido Rondon, agora JCI - Marechal Cândido Rondon (nota do pesquisador). -- FOTO 9 --
 

Ver mais, clique aqui (item 1977).

___________________________________

2001 — Acontece na cidade de Quatro Pontes (PR)  a inauguração da Casa da Cultura (nota do pesquisador). 

_________________________________________

2002 — O deputado federal paranaense Dilceu Sperafico, da cidade de Toledo (PR), é homenageado pela Câmara Municipal de Quatro Pontes com o título de Cidadão Honorário do Município (COSTA, Luiz Alberto Martins da. Calendário Histórico de Toledo — Cronologia de Fatos, Registros e Curiosidades da História do Município de Toledo. Toledo: GFM Gráfica & Editora, 2009, p. 197). 

___________________________________

2005 — Paul Lírio Berwig, ciclista rondonense, vence a 1ª Prova da Independênia de Ciclismo da cidade de Guaíra (PR), na categoria "master B" (40 a 50 anos). A prova foi de circuito na avenida principal da cidade paranaense (nota do pesquisador). -- FOTO 10 --

___________________________________

2015  Falece na cidade de Campo Grande (MS)  o ex-industrial rondonense Pedro Cereser. Seu corpo foi sepultado naquela cidade sul-mato-grossense.

Nasceu em Três de Maio (RS), em 10 de janeiro de 1930, filho do casal Genoveva (nascida Vione) e Antonio Cereser. Casou-se com Jandira Maria Rubin Demo, na cidade de Vicente Dutra (RS), em 30 de dezembro de 1959. O casal teve seis filhos – dois homens e quatro mulheres. No Rio Grande do Sul, Pedro Cereser atuou no ramo do comércio e indústria de extração de óleo vegetal.

No começo da década de 1970, transferiu residência com a família para a cidade de Marechal Cândido Rondon, onde tinha adquirido a fábrica Cirosa, de esmagamento de soja e extrato de óleo, de propriedade da família Nixdorf, da cidade de Rolândia, Norte do Paraná, cuja unidade fabril ainda não tinha entrado em funcionamento.

Pedro Cereser colocou a indústria em operação em 1975. Em 10 de janeiro de 1985, vendeu o complexo industrial para o grupo Soceppar, de Curitiba, que o revendeu anos depois para a Copagril e esta, para o grupo Sperafico, da cidade de Toledo. Em 2020, a planta industrial voltou a pertencer à Copagril, por decisão judicial.

No ano de 1985, o empresário Pedro Cereser e família transferiram residência para a cidade de Campo Grande (MS), para dedicar-se à atividades agropecuárias (informação recebida de Stella Cereser, via Facebook, em 13.09.2017 e Difusora 50 Anos, ed. 21.09.2016). -- FOTO 11 --

___________________________________

2015 — Falece o pioneiro rondonense Haroldo Alberto Güttges, aos 84 anos, em decorrência. Seu corpo é sepultado no cemitério público da cidade de Marechal Cândido Rondon (PR).

Era natural de Porto Vitória, cidade no sul do Paraná, nascido em 03 de fevereiro de 1931, filho do casal  .

Nessa cidade paranaense, Haroldo casou-se com Elga Lamb, com quem constituiu família com o nascimento dos filhos Werner Miguel, Wilmar Alberto Dulcineide e Gilmar (precedeu-lhe na morte em  ).

Em 1958, o pioneiro migra com a sua família para a cidade de Pato Branco, sudoeste do Paraná, e, em 1969, transfere de residência para a atual cidade de Pato Bragado (PR), e em 1982 vem residir na cidade de Marechal Cândido Rondon.

Começou profissionalmente como lavador de carros e frentista de posto de combustível. 

A cidade de Marechal Cândido Rondon homenageia o pioneiro ao dar o seu nome à Unidade Coletora de Sangue (colaborou Wilmar Alberto Güttges). -- FOTO 12 --

___________________________________

2018 — Acontece na sede social da Associação Atlética Cultural Copagril (AACC) almoço comemorativo ao 43º aniversário de fundação da entidade social dos funcionários da Cooperativa Agroindustrial Copagril (nota do pesquisador). -- FOTO 13 --

___________________________________

2018 — Falece o pioneiro do distrito rondonense de Iguiporã, senhor Arnaldo Storck¹, aos 88 anos. Seu corpo é sepultado no cemitério público do distrito.

O pioneiro chegou de mudança em Marechal Cândido Rondon, na companhia da esposa Edi² (nascida Koch) e do primogênito Alceu, com 18 meses, em 21 de abril de 1956, procedente da Linha Cachoeira, município de Getúlio Vargas (RS). Instalou-se na Linha Koch no distrito antes referido.

São filhos do casal Edi e Arnaldo Storck: Alceu casou com Hildegard Neagele; Irineu casou com Rosane Oesterreich; Elmar com Noili Zastrow; Vilson com Erci Hinnemeier; Vilmar com Adriana Cavalheiro; Marli com Alexandre Niederle; Edeli com Jaime Boll; e Nelize com Valdir Schuster (colaborou Alceu Storck). -- FOTO 14 --
 

¹ Era filho de Guilhermina (nascida Peter) e Frederico Storck e são seus irmãos Oique, Guido, Lilian e Mirian, a última é única irmã que não se mudou para o Paraná.
 

² Era filha do casal pioneiro Olga (nascida Ritter) e Theobaldo Koch (casal construiu o primeiro moinho na então vila de Iguiporã), é falecida em 18 de dezembro de 2002. O corpo da pioneira Edi Storck está sepultado no cemitério público da sede distrital de Iguiporã.
 

___________________________________

2018 — Começa na cidade de Toledo (PR) e vai até o dia 09, os Jogos da Juventude do Paraná (JOJUPS). Na competição da modalidade de Ginástica Rítmica, as atletas que competiram pelo município de Pato Bragado, Fernanda Heinemann (nascida no município) e Ana Júlia Oldoni, conquistaram as medalhas de ouro, no aparelho maças e terceiro lugar no individual geral; e segundo lugar no aparelho maças e terceiro lugar no aparelho mãos livres, respectivamente.

As duas ginastas atuavam pela equipe da Sadia-Toledo (nota do pesquisador).. -- FOTO 15 --

___________________________________

2018 — Começa e vai até o dia 09 (domingo), a agenda festiva de eventos alusiva aos 26 aniversário do município de Mercedes (O Presente. Marechal Cândido Rondon: ed. 07.09.2018, p. 16 e ed. 11.09.2018, p. 12 e 13). -- FOTO 16 --

___________________________________

2018 — Acontece na sede municipal de Entre Rios do Oeste, o Desfile Cívico ao Dia da Pátria e em comemoração aos 25 anos de emancipação do município, com o tema "Jubileu de Prata" (O Presente. Marechal Cândido Rondon: ed. 07.09.2018, p. 27). -- FOTO 17 --

___________________________________

2018 — É realizado o último dos eventos comemorativos¹ da Semana da Pátria, na Praça Willy Barth, da sede municipal de Marechal Cândido Rondon, com a apresentação da Orquestra Municipal de Sopros (O Presente. Marechal Cândido Rondon: ed. 07.09.2018, p. 27).
 

¹ Como ocorreu desfile durante os festejos de 58º aniversário do município de Marechal Cândido Rondon, não foi organizado o desfile de Sete de Setembro. Assim, no ano seguinte não acontecerá o desfile na Festa do Município e será realizado no Dia da Pátria.

___________________________________

2020 — Por causa das medidas sanitárias adotadas para o enfrentamento da pandemia de coronavírus (COVID-19), não ocorreu o tradicional desfile¹ de escolares, militares e entidades na cidade de Marechal Cândido Rondon, pelo Dia da Independência no Brasil.

Á propósito da data comemorativa, a Prefeitura Municpal, via Secretaria da Cultura, Secretaria de Esporte e Lazer e  a Fundação Promotora de Eventos de Marechal Cândido Rondon (PROEM)  produziu um concerto alusivo com Orquestra de Sopros, gravado na Casa Cultural, junto ao Parque de Exposições, e transmitido pelas mídias sociais no dia 07 de setembro, no peróodo matutino. 

Na cidade, estabelecimentos comerciais e  moradores restringiram a lembrança da Semana da Pátria e o Dia da Independência, nada além da fixação da bandeira nacional ou imagens dela em vitirine,  hasteamentos ou ainda, presas nas sacadas. Abstendo-se de qualquer outro maior atrativo.

Enquanto isso, a Capital Paranaense encantou com o verde-amarelo a estufa do Jardim Botânico.

Vários países também prestaram homenagem de apreço ao Brasil pela comemoração de sua Independência. Entre eles, a Suiça de quem o Brasil recebeu milhares de imigrantes, cujos descendentes daqueles que imigraram para o Rio Grande do Sul, hoje são moradores no Oeste do Paraná. 

Os Emirados Árabes Unidos, grande parceiro comercial brasileiro, para onde vai boa parte do frango de corte produzido no Oeste Paranaense, foi outro país que prestou homenagem a Independência Brasileira (nota do pesquisador). -- FOTOS 18, 19, 20 e 21 --
 

¹ Em virtude do desfile que acontece nas Oktoberfeste, a administração pública adotou nos últimos anos, o seguinte: nos anos pares é realizado o desfile de 7 de Setembro e nos impares, o desfile da Oktoberfest.
 

Ver vídeo, clique aqui.

___________________________________

2021 — Devido os protocolos sanitários em vigor para enfrentamento da pandemia da COVID-19, o Dia da Independência do Brasil, na cidade de Marechal Cândido Rondon (PR), foi assinalado sem a presença de público. 

A prefeitura de Marechal Cândido Rondon realizou às 8 horas um ato de hasteamento das bandeiras do Brasil, do Paraná e do município de Marechal Cândido Rondon, na ala norte do hall de entrada do Paço Municipal.  Na oportunidade foi inaugurada a placa alusiva à criação da Bandeira Nacional, contendo o decreto do governo provisório da República, datado de 19 de novembro de 1889; como a entrega da restauração da estátua do Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon.

A solenidade contou com as presenças do prefeito municipal Marcio Rauber, do vice-prefeito Ilario Hofstaetter (Ila), e do comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar, capitão Daniel Zambon (nota do pesquisador). -- FOTOS 22 e 23 --

____________________________________

2021 — Acontece uma das maiores manifestações populares já registradas em Marechal Cândido Rondon, com centenas de veículos automotores, motocicletas e tratores e com a presença de milhares de pessoas, pela Independência Brasileira e em apoio à governabilidade do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro. A carreata percorreu as duas principais avenidas da cidade.

Em comentário expendido ao jornal rondonense O Presente, o prefeito municipal Marcio Andrei Rauber, de Marechal Cândido Rondon, pontuou sobre a manifestação:
 

Demonstração de patrotismo nunca antes vista neste tamnho e quando falo isso é sobre o número de participantes. Um movimento muito bonito, que além de patriótico, de ser relativo ao 7 de setembro, muitos estavam apoiando o presidente da República em algumas de suas pautas e reivindicações. Foi um dia histórico para o município, uma dia muito bonito e que jamais será esquecido (O Presente. Marechal Cândido Rondon: ed. 10.09.2021:03).

 

A manifestação popular, com imensas concentrações, também é registradas nas principais cidades brasileiras. Um dos maiores atos coletivos foi verificado na Capital Federal com centenas de milhares de participantes, com a presença das caravanas que vieram de vários estados.

De Marechal Cândido Rondon diversas moradores viajaram a Brasilia para participar da enorme manifestação em apoio ao presidente. Entre aqueles que se dirigiram à Praça dos Três Poderes, esteve o advogado rondonense Oscar Nisihgil (FOTO 24). 

 Indagado pelo jornal O Presente sobre a sua participação, ele justificou: 
 

"Fui a Brasilia para dizer: estou aqui, estou apoiando o presidente e estou apoiando o Brasil. Quero que o Brasil tenha governabilidade e espero que este 07 de Setembro não desencadeie problemas maiores para o país.

Desde criança sempre fui um apaixonado pelo Brasil e participei de todos os movimentos cívicos. Gostava muito daquilo. Foi um norte que levou a minha vida o tempo todo, ser cívico, gostar do Brasil, participar daquilo que é importante. É claro que a ida a Brasília motivou em razão de todo o movimento que se fazia no Brasil, uma expectativa de que muitas pessoas estivessem lá participando do 7 de Setembro e, evidentemente, foi o que aconteceu.

Nunca tinha participado de um movimento tão grande, tão entusiasta e tão apaixonado pelo Brasil. Já na saída de Foz do Iguaçu, quando peguei o voo, vi muitas pessoas que estavam indo para Brasília e outras para São Paulo. Conversamos sobre tudo isso e realmente a minha ideia foi participar do movimento pró Brasil, em favor do Brasil. Era o que queria sentir no 07 de Setembro lá em Brasília.

O que foi visto na Capital Federal foi muito entusiasta e fantástico. Vi pessoas comemorando 07 de Setembro, reivindicando, protestando, mas um movimento extremamente pacífico e lindo. Havia crianças, pessoas de idade, jovens e adolescentes. Foi uma variação extremamente importante dentro dos sistema brasileiro. Acho que em Brasília foi um momento histórico. Diria que participei de um momento histórico.

Foi algo muito importante. Brasília comemorou 07 de Setembro com o presidente Jair Bolsonaro, que fez um discurso um tanto contundente, mas o movimento em si foi perfeito. Nada além dessa situação. A avaliação que faço é muito boa. É algo que guardo no coração como uma história diferenciada.

Vimos em Brasília a manifestação pró-presidente, aquele povo que estava lá era um pessoal que apoiava o presidente, tanto que as manifestações contrárias foram inexpressivas em Brasília. Carrego sentimento de patriotismo. Quando se vai para um movimento e apoia um presidente, por exemplo, o desejo é de que o Brasil tenha governabilidade. O que eu acho que está acontecendo: falta ajuda na governabilidade do presidente Jair Bolsonaro. E é o sentimento das pessoas que participaram destes movimentos em favor dele. Tanto que se analisar as notícias após 7 de Setembro, todo mundo partiu para o ataque ao presidente, porque ele fez algumas críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF) que, na verdade, na minha opinião, está extrapolando todos os limites da legislação. Então o sentimento que carrego é de patriotismo pró-Brasil e para que o país tenha governabilidade.

Não é o Supremo que governa o país. Quem governa é o Executivo, acompanhado pelo Legislativo e pelo Poder Judiciário. As manifestações foram ditas para o presidente poder governar o Brasil.

Espero que isso possa acontecer, pois temos que deixar os três poderes da República completamente separados. Há uma responsabilidade enorme do Poder Legislativo em auxiliar o presidente a governar o país. O Supremo Tribunal Federal deve se ater a suas funções constitucionais e parar de tentar legislar e criar problema para o Brasil. Nós temos preocupações com combustível, gás, inflação de alimentos, tudo isso tem que ser solucionado no país, mas para que possa ser solucionadoo Poder Executivo tem que ter a liberdade de governar e não pode ser açoitado pelo Supremo Tribunal Federal e desprezado, negligenciado pelo Poder Legislativo. 

Essa história de que vão criar o impeachment, que vão criar muitos problemas para o presidente, é 'papo de aranha'. Temos que pensar que o Brasil precisa ter harmonia entre os três poderes. É o meu sononho e minha vontade. Fui a Brasília para dizer: estou aqui, estou apoiando o presidente e estou apoiando o Brasil. Quero que o Brasil tenha governabilidade e espero que este 07 de setembro não desencadeie problemas maiores para o país, como essa greve dos caminhoneiros que está acontecendo, extamente pelos problemas que foram reivindicados durante todo esse tempo (O Presente. Marechal Cândido Rondon: ed. 10.09.2021: 14 e 15). 


___________________________________

2022 — Em virtude da instabilidade do tempo, a Prefeitura Municipal de Marechal Cândido Rondon cancela a agenda programática comemorativa à Independência do Brasil. Ficou mantida o desfile organizado por entidades e lideranças.

A Rádio Educadora Marechal AM, da cidade de Marechal Cândido Rondon (PR), assinalou a passeata cívica com a seguinte nota

 

Milhares de pessoas comemoram a Independência do Brasil em Marechal Rondon

As cores verde e amarela da bandeira do Brasil, tomaram conta hoje (7) pela manhã, das ruas e avenidas da área central de Marechal Cândido Rondon.

Milhares de pessoas participaram da carreata em comemoração aos 200 anos da Independência do Brasil.

A concentração começou em frente ao Parque de Exposições, seguiu pela avenida Maripá e em seguida pela avenida Rio Grande do Sul, sendo encerrada com um ato cívico no Lago Municipal de Marechal Cândido Rondon.

Centenas de tratores, caminhões, carros e motocicletas, enfeitados com faixas e bandeiras do Brasil, fizeram parte da manifestação.

A participação dos rondonenses foi considerada uma das maiores da história do município, apesar das condições climáticas, que inclusive motivaram o cancelamento do desfile que seria promovido pelo poder público em Marechal Rondon e outros municípios da região.

O ato em Marechal Cândido Rondon contou com expressiva participação da comunidade, com destaque para o setor agrícola que colocou mais de 100 tratores no desfile de 7 de Setembro.


Ver vídeo do desfile, clique aqui. (Créditos do portal Marechal News).

_________________________________

2022 — O feriado nacional dos Bicentenário da Independência do Brasil amanhece com nebulosidade, deixando muita gente com convicção de chuvas. No entanto, ao transcorrer do dia o manto de nuvens foi se dissipando e o final da tarde foi de sol pleno. Ventos do quadrante Nordeste, fracos. Temperaturas entre 16 e 25 graus (nota do pesquisador). -- FOTO 25 --

_________________________________

2023 — É quinta feira. Feriado nacional de 7 de Setembro; Dia da Independência do Brasil. O dia amnahece na cidade de Marechal Cândido Rondon com temperatura de 20 graus, céu encoberto com nebulosidade tipificada como altostratus e ventos do quadrante Nordeste, moderados. A temperatura máxima chegou aos 29 graus (nota do pesquisador).

___________________________________

2023 — Escolas das cidades de Marechal Cândido Rondon e de Guaíra, apoiadas pela Cooperativa Agroindustrial Copagril via Cooperjovem, tem ativida participação na celebração da Independência e do Cooperativismo. -- FOTO 26 --

Sobre essa participação escolar nos dois festejos, a Copagril, por seu departamento de imprensa, emitiu a seguinte nota: 
 

Escolas apoiadas pelo Programa Cooperjovem celebram independência do Brasil e cooperativismo.

As escolas Municipais Criança Feliz, de Marechal Cândido Rondon (PR), e Rita Ana de Cássia, de Guaíra (PR), ambas atendidas pela Copagril através do Programa Cooperjovem desenvolvido pelo Sescoop/PR, participaram do desfile de 7 de setembro em seus respectivos municípios, celebrando a independência do Brasil.
Sob a coordenação dos professores e com o apoio da comunidade escolar, alunos e pais demonstraram além do espírito patriota, o compromisso em formar cidadãos mais cooperativos e conscientes.
Os alunos carregaram bandeiras brancas, que representavam, além da paz, a educação, a união, a cooperação e a responsabilidade social, dois dos princípios fundamentais do cooperativismo, que são amplamente incentivados pelo Programa Cooperjovem. As escolas fizeram questão de destacar como a educação e a cooperação podem caminhar de mãos dadas na construção de um futuro melhor.
O apoio contínuo da Copagril e a dedicação dos professores, pais e alunos são fundamentais para um futuro com mais cooperação, união e progresso. O Programa Cooperjovem, tem sido um uma das bases fundamentais na formação desses jovens, preparando-os para um futuro de cooperação, responsabilidade e cidadania.
Essas escolas, através de suas participações no desfile de 7 de setembro, reforçaram o compromisso com a educação de qualidade e a formação de jovens em cidadãos exemplares. A Copagril se orgulha em participar do desenvolvimento das crianças e das escolas em parceria o Sescoop/PR.
A Copagril lembra a todos que a educação é a chave para um Brasil mais cooperativo, responsável e unido. Juntos somos capazes de transformar a sociedade e nossas comunidades em um lugar melhor!

___________________________________

 

 

 

 

 

Compartilhe

COMENTÁRIOS

Memória Rondonense © Copyright 2015 - Todos os direitos reservados